10 coisas que odeio em você

Quando se é casado (ou ponha aqui o que você se sentir confortável: __________) há bastante tempo, passamos a conhece intimamente as manias e trejeitos do companheiro. Sonhos, medos, heróis e desafetos também, e por isso, achamos que já sabemos tudo sobre aquela pessoa - como um mapa bem tracejado com coordenadas lógicas cheias de sentido (ou não) - e então você passa a odiar certos hábitos.

Como o fato do despertador ter que tocar 5 vezes a cada 10 minutos para mesmo assim, você ter de despejá-lo da cama para ele enfim acordar ou quando você fala que vai chamar alguém para concertar x coisa e ele diz de peito estufado com a mão no peito que ele mesmo vai fazer - e faz. Só que 6 meses depois - com risco de insucesso. hahahah Ou quando você combina um horário e chega muito, muito, muito atrasada. A pessoa já está até sentada no chão - literalmente - te esperando.












1 - O modo como ele/ela sabe o que você está pensando por conta de uma cara que você fez

2 - Quando você está a fim de curtir aquela fossa (por algo ruim na família, no trabalho, sei lá..) e ele/ela não te deixa em paz até te fazer sorrir

3 -

Como o fato de te conhecer tão bem a ponto de só com o olhar você sentir o peso da inquisição


mas como a vida é bela, um dia seu parceiro te surpreende.


 (me coloco aqui também. Sou a rainha de me (re)inventar) e como disse o xx uma vez, você fica tão acostumado com aquela pessoa e de repente você descobre de novo o quanto ela é maravilhosa.

- Permissão para ser piegas, senhor?
- Concedida.

Às vezes me pergunto como meu marido consegue acompanhar as mudanças, mas como um marujo velho, ele sabe quando e como agir em uma tempestade ou em calmarias.

 É um delícia, "la dulce tortura" lenta e inquietante. Por que quando você acha que já sabe tudo sobre seu parceiro, ele inventa uma e você pensa "eita!", mas de um jeito bom (na maioria das vezes. hehe). É como um processo de re-apaixonar todos os dias ou a cada nova descoberta.


A verdade é que você nunca conhece a pessoa por inteiro, você conhece muito dela, a maior parte dela, mas existe aquela outra parte que nem ela mesma (pessoa) sabia que existe dentro dela - ou que irá florescer - e aí, pem! Surpresa! Novidade. apaixonamento (inventei agora. Tenho licença poética para breguice no momento). Deslumbramento. Encantamento. Gosto dessa palavra. Foi assim que me senti quando conheci o amor da minha vida, aquele que me faz sentir que é sábado de manhã todas as vezes que olho para ele. Fiquei encantada, assim, logo de cara. E a cada conversa, mensagem no orkut ou msn - olha eu aqui entregando a idade... - eu me apaixonava um pouquinho mais. E um dia sem mais nem menos, me vi completamente apaixonada, e então entendi o "cativo por livre e espontânea vontade" - queria ele e mais ninguém,e por sorte, ou esforço nosso, isso continua mesmo hoje. (e apesar das "maldições do tipo "não dura 3 meses" "espera fazer 1 ano para você ver!" e por aí vai).

Com esses amores, vem muita coisa boa e coisa chata também.

Odeio quando você

Comentários